Blog

Quadro de arco e flecha com as cores preto, vermelho e branco representando o alvo atingido onde remete aos objetivos financeiros

Objetivos financeiros: como escolher o seu

Organizar as finanças para ser capaz de realizar sonhos pode ser bem difícil para algumas pessoas. Talvez você esteja na situação de ver todo o seu salário sendo consumido nas contas do mês, sem que tenha condições de planejar o futuro com ele.

Isso pode acontecer por uma opção pessoal de fazer maiores gastos e ter um consumo elevado no presente. Mas também ocorre de alguém vivenciar esse contexto financeiro sem ao menos se dar conta de para onde o seu dinheiro está indo.

Em ambas as situações, uma estratégia que pode ajudar a aperfeiçoar o seu orçamento é a definição de objetivos financeiros. Quer saber o que eles são e como esses objetivos podem melhorar suas finanças? Confira este post!

O que é um objetivo financeiro?

Se você parar rapidamente agora para analisar sua vida, consegue responder para onde ela está indo? E o que você deseja para si mesmo no futuro? Embora pareçam questionamentos simples, nem todos conseguem respondê-los facilmente.

Qual é a importância de se fazer essas perguntas? A principal é poder ter o controle do caminho que você está tomando. Afinal, como nos ensina a obra Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, “para quem não sabe aonde ir, qualquer estrada serve”.

Isso significa que, na falta de objetivos, a sua vida pode acabar tomando um rumo indesejado. E esse contexto acontece frequentemente na vida financeira.

Você provavelmente conhece alguém que se endividou ou enfrenta apertos financeiros sem saber ao certo como chegou a esse ponto, não é?

O fato é que muitos brasileiros não exercem um controle eficiente sobre seu orçamento. O que falta, na maioria dos casos, é exatamente pensar sobre objetivos financeiros.

Quando sabemos para onde queremos ir, fica muito mais fácil traçar metas e estratégias para alcançar esses objetivos – inclusive os financeiros, que é justamente o que você deseja fazer com o seu dinheiro.

Estes objetivos podem estar relacionados a gastos ou ganhos: por exemplo, comprar uma casa ou aumentar a capacitação para receber um salário maior. E as metas variam de pessoa para pessoa.

Veja mais alguns exemplos:

  • Fazer uma festa de casamento;
  • Comprar um carro ou moto;
  • Viajar;
  • Matricular-se em um curso;
  • Reformar um imóvel;
  • Começar um negócio próprio;
  • Aposentar-se.

3 dicas para escolher objetivos financeiros

Agora que você já sabe o que são e para que servem os objetivos financeiros, que tal aprender na prática a definir os seus? Confira os 3 passos para fazer isso!

1. Pratique o autoconhecimento

Como falamos, os objetivos financeiros vão variar de acordo com cada pessoa. Afinal, eles traduzem o que cada um espera da sua vida. Então, a primeira etapa para identificar quais são seus objetivos é pensar sobre si mesmo.

Praticar o autoconhecimento é se conhecer. Refletir sobre o que é importante para você, quais são suas necessidades e os seus desejos para o futuro.

Certamente, muitas coisas surgem na cabeça quando começamos a pensar nisso. Uma dica é ir anotando todas as ideias que aparecerem.

Depois de ter uma lista extensa com o que você gosta e deseja, chega a hora de avaliá-la. É possível que alguns dos itens não representem, de fato, desejos seus, mas expectativas de outras pessoas.

Por isso, um passo importante é definir prioridades. Observando sua lista, procure eleger quais são os objetivos mais importantes e quais deles podem ser adiados ou mesmo deixados de lado.

2. Pesquise

Objetivos financeiros não são apenas sonhos. Ou seja, eles não representam somente vontades do tipo “um dia quero ter um carro”. Para se tornar objetivos, eles devem ser realizáveis – então, é necessário ser mais específico.

Pensar, por exemplo, “quero ter determinado carro, no valor de R$ 40 mil, daqui a dois anos”. Percebe a diferença entre as duas frases? E como fazer para transformar um sonho em objetivo financeiro? Pesquisando!

Fazer pesquisas sobre os itens que você deseja adquirir permite especificar seus objetivos. Assim, aquela primeira lista de desejos vai tomando forma e virando objetivos e metas com potencial para guiar suas escolhas financeiras.

3. Coloque seus planos em ordem

Por fim, há um terceiro passo para definir objetivos na vida: colocá-los em ordem. Podemos dividir nossos planos em três grupos principais: de curto, médio ou longo prazo. Isso diz respeito ao tempo em que você pretende conquistá-los e à prioridade que dá a cada um.

Os planos de curto prazo são aqueles que acontecem em pouco tempo. Normalmente, de alguns meses até, no máximo, 2 anos. Já os de médio prazo podem levar de 2 a 5 anos, enquanto os de longo prazo levam um tempo acima desse intervalo.

Organizar seus objetivos financeiros de acordo com essas categorias é uma ótima estratégia para alcançar a realização de cada um deles. Dessa forma, você pode, ao mesmo tempo, trabalhar para a conquista de vários desejos.

Como realizar seus objetivos?

Depois de identificar o que você quer e definir suas prioridades, chega a melhor hora: a de caminhar até a realização das metas. Mas como fazer isso? Confira nossas dicas para realizar seus objetivos!

Saiba quanto eles custam

É bem difícil realizar um plano se você não sabe como chegar até ele, certo? Logo, a primeira etapa para conquistar seus objetivos financeiros é saber o quanto eles custam.

Vale para tudo: qual é o preço do carro que deseja comprar, quanto custa o imóvel que você quer, a viagem que pretende fazer, etc.

O preço do seu objetivo é a informação básica que possibilita uma preparação eficiente. A partir disso, é possível estabelecer metas. Por exemplo, definir o valor mensal a ser poupado para adquirir o veículo de R$ 40 mil.

Monte um planejamento

Pesquisar o valor do seu plano não é suficiente para realizá-lo. Afinal, como conseguir os R$ 40 mil do nosso exemplo? Dividindo esse objetivo maior em pequenas metas. Assim, a cada mês você vai estar um pouco mais perto desse valor – e da realização de seu sonho.

O planejamento deve ser montado com metas realistas. Por isso, é preciso partir das suas possibilidades.

Quem tem pouco dinheiro sobrando e não consegue cortar custos deve considerar isso na hora de estabelecer metas. Do contrário, vai ficar difícil cumprir o planejado.

Na dúvida, experimente colocar metas menos ousadas de início. Assim, você vai conseguindo alcançá-las mais facilmente e pode intensificar o planejamento ao longo do tempo. É melhor do que colocar objetivos complexos e se frustrar se não saírem como o esperado.

Saiba traçar metas

Suas metas têm que apresentar algumas características fundamentais. Elas devem ser: específicas, mensuráveis e temporais. Ou seja, você precisa detalhar o que vai fazer, estabelecer algo que possa ser quantificado e definir uma data para a realização.

Pense em alguém que tem o objetivo de ler um livro. Se a pessoa deixa a leitura livre, pode acabar o conteúdo em uma semana ou em um ano. Tudo vai depender do ritmo.

Mas se ela transforma em uma meta, por exemplo, de terminar em duas semanas, basta delimitar uma quantidade de páginas para cada dia.

Então, uma meta financeira pode ser como essa: poupar R$ 300,00 todos os meses para ter R$ 7.200,00 em 2 anos e gastar em uma viagem internacional. Isso aumenta a possibilidade do plano se realizar, pois ele se torna específico e você pode acompanhar se está conseguindo manter o combinado a cada mês.

Controle o orçamento

Pode parecer uma verdade difícil de assimilar, mas não existe realização de sonhos sem controle financeiro. Se você não acompanha seu orçamento e não toma decisões conscientes sobre seus gastos, é praticamente impossível conquistar o que deseja para o futuro.

Afinal, um orçamento descontrolado consome todo ou boa parte do dinheiro ao longo do mês. Dessa maneira, vai sobrar muito pouco para planejar seus objetivos. Então, um passo fundamental para a realização deles é cuidar das suas finanças.

A melhor estratégia para isso é buscar educação financeira. Com ela, você adquire conhecimentos sobre a administração das finanças pessoais e aprende hábitos importantes, como: ganhar mais dinheiro, praticar dicas de economia, estabelecer metas de poupança, manter o equilíbrio do orçamento, entre outros.

Uma das primeiras práticas que se ensina na educação financeira é acompanhar seus gastos. Utilize um aplicativo de finanças para anotar tudo o que ganha e gasta durante o mês. Isso é muito útil para identificar dificuldades e aprimorar constantemente o seu controle orçamentário.

Não abra mão da qualidade de vida

Quando falamos de economia é comum que as pessoas visualizem um cenário sem qualquer gasto supérfluo. Fazer grandes sacrifícios e abrir mão do seu padrão de vida certamente tornaria a realização de seus sonhos mais rápida. Entretanto, isso não é sustentável.

O que significa? Que dificilmente você conseguiria manter esse compromisso por muito tempo. Provavelmente, a consequência seria ficar estressado e frustrado por não ter prazeres no presente e logo desistir do planejamento.

Por isso, a dica é não deixar a qualidade de vida de lado. Procure montar um planejamento financeiro sustentável. Ou seja, que mantenha coisas que fazem sua rotina feliz, ao mesmo tempo em que poupa para o futuro. Isso aumenta a motivação para continuar na linha.

Encontrar esse equilíbrio não é uma tarefa simples. Você pode se perguntar: como economizar sem perder qualidade de vida? Uma forma de responder a essa questão é definindo quais são os seus gastos prioritários – o que seria indispensável para sua felicidade.

Tenha constância

Você já ouviu falar que a direção é mais importante que a velocidade? Essa é uma ideia muito relevante quando falamos de finanças. Significa que o compromisso em manter suas metas de poupança é tão ou mais importante do que o volume de dinheiro poupado.

Imagine duas situações: um jovem de 20 anos que ganha R$ 1.000,00 por mês e um executivo de 40 anos que tem uma renda dez vezes maior. Se o primeiro nunca deixa de poupar uma parte do seu salário todos os meses, enquanto o segundo não tem essa constância, é provável que o jovem monte uma reserva financeira maior, mesmo ganhando menos.

A lição que se pode tirar disso é que, no final, o compromisso diário com os seus sonhos faz uma diferença maior do que a quantidade de dinheiro que você consegue poupar. Se a constância das suas metas for garantida, seus objetivos financeiros serão alcançados, ainda que demore um pouco.

Faça investimentos

Quer realizar suas metas com segurança e rapidez? Aprenda a investir! Aproveitar aplicações financeiras é uma maneira de multiplicar seu dinheiro e conquistar seus objetivos mais facilmente.

Existem diversas opções de investimentos disponíveis e cada um vai servir bem a determinados objetivos. Por isso, ter clareza dos seus planos é uma etapa importante para saber onde aplicar o seu dinheiro.

Isso ajuda a definir, por exemplo, o prazo de cada aplicação. Para sonhos de longo prazo, você pode buscar investimentos em que o valor aplicado fique rendendo por mais tempo. Já nos objetivos de curto prazo, o ideal é procurar alternativas nas quais você possa tirar a quantia em breve.

Outro aspecto que deve ser planejado de acordo com seus objetivos é o risco dos investimentos. A depender de cada plano, vale a pena correr mais ou menos riscos em busca de rendimentos.

Tenha uma reserva de emergência

Um imprevisto financeiro pode atrapalhar bastante a conquista de seus objetivos. Pense no que aconteceria se você perdesse o emprego enquanto poupa dinheiro para comprar um carro.

Provavelmente, precisaria adiar esse plano e usar a quantia para equilibrar suas finanças até encontrar outra renda, certo? Entretanto, essa não precisa ser a única possibilidade.

E se você tivesse um dinheiro reservado especialmente para imprevistos como esse? Com isso, não teria que mexer na poupança do carro, pois usaria o valor dessa reserva de emergência para manter o orçamento sob controle.

Percebe como ter uma reserva de emergência deixa os seus objetivos financeiros protegidos contra imprevistos? O ideal é que você reserve um valor correspondente a seis meses dos seus custos de vida. Assim, vai ter esse tempo para organizar as finanças diante de um problema.

Conclusão

Você terminou de ler um post completo sobre como escolher objetivos financeiros. Ao utilizar essas informações no seu dia a dia, será possível perceber muitas mudanças positivas na maneira como administra seu orçamento e planeja seu futuro.

Não deixe de avaliar os resultados das suas ações frequentemente. Essa é uma forma de saber se o planejamento está dando certo.

Também torna viável fazer ajustes para adaptar melhor suas metas à realidade financeira. Com tudo isso, vai ficar bem mais fácil ver seus objetivos se tornarem reais. Para te ajudar a conquistar esses objetivos aproveite para conhecer as 7 dicas de ouro para organizar suas finanças.

E então, gostou das nossas dicas? Aproveite para assinar a newsletter do site!